Joyland, um suspense light de Stephen King

Por Ana Paula Laux – “Joyland” (ou literalmente, ‘terra da diversão’) é o parque que serve de pano de fundo para essa história de terror ‘light’ de Stephen King, com doses calculadas de mistério e sobrenatural.

 

 

Em 1973, Devin Jones é um adolescente que está prestes a entrar para a Universidade de New Hampshire e decide trabalhar em um parque de diversões nas férias de verão, enquanto tenta superar uma desilusão amorosa. Quando chega na cidade, ele descobre que houve um assassinato violento no trem fantasma do parque. O crime nunca solucionado pela polícia, e acabou marcando o vilarejo turístico da Carolina do Norte. Atraído pelo mistério, Devin é surpreendido pelas previsões da cartomante de Joyland.

Ele decide permanecer trabalhando no parque após o fim das férias, pois quem investigar a morte de Linda Grey, a vítima do trem fantasma que ele acredita ter sido assassinada por um serial killer. Para apimentar a história, pessoas que andaram no brinquedo dissram ter visto o fantasma da garota no lugar onde ela teria tido a garganta cortada, trajando as roupas do dia do crime e implorando por socorro.

 

joyland3

 

King é um bom contador de histórias, e trabalha as reviravoltas do começo ao fim do livro. Li que a ideia para muitas tramas vem dos próprios sonhos dele. Com Joyland foi quase isso. Em uma entrevista de 2013, ele disse que o livro nasceu de uma única imagem conservada por vinte anos na sua memória, a de um menino em cadeira de rodas em uma praia empinando uma pipa ilustrada com a face de Jesus (um dos personagens que ajuda Devin é esse menininho da cadeira de rodas). O que me leva a imaginar a lista de gente boa que frequenta os sonhos do autor.

 

Outra curiosidade é que ele se inspirou em um parque real para criar Joyland. O nome do lugar é “Canobie Lake Park”, que fica na cidade de Salem, em New Hampshire.

 

Fundado em 1902, é um parque à moda antiga com atrações populares como montanha-russa (tem uma de 1930 toda de madeira), roda-gigante, tendas de prêmios, shows de música, etc.

“Joyland” saiu em 2013 nos Estados Unidos, e no Brasil chegou pela Editora Suma. O livro foi indicado em 2014 a uma das categorias do Edgar Awards, um dos mais importantes prêmios da literatura policial. É uma leitura leve, despretensiosa e divertida.

* Livro cedido em parceria com a Editora Suma

star4

 

Título: Joyland
Autor: Stephen King
Páginas: 240
Editora: Suma de Letras Brasil
Ano: 2013 (no Brasil, 2015)
Este livro no Skoob

SINOPSE: Carolina do Norte, 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer.

 

Ana Paula Laux

Jornalista. Trabalha com curadoria de informação, gestão de mídias sociais e criação de conteúdo digital. Em 2014, lançou o e-book "Os Maiores Detetives do Mundo" (Chris Lauxx).

6 comentários em “Joyland, um suspense light de Stephen King

  • Pingback:{news} Eu li notícias literárias da semana |

  • janeiro 14, 2016 em 2:11 pm
    Permalink

    Gostei do livro, como praticamente tudo de Stephen King, mas fiquei com a sensação de que tudo poderia ter sido escrito em forma de conto. Achei que grande parte da narrativa são situações que circundam a história.

    Resposta
  • julho 20, 2016 em 12:49 am
    Permalink

    Acabo de ler o livro e gostei bastante. É envolvente, o protagonista-narrador é muito carismático e acho que isso ajuda o leitor a entrar na sua pele durante a história. O terror é bem leve, mas o pouco de suspense fantasmagórico se adequa bem ao enredo. O King escreve trechos memoráveis como na página 185: “Só posso dizer o que você já sabe: alguns dias são preciosos. Não muitos, mas acho que em quase toda vida há alguns”.

    Resposta
    • julho 20, 2016 em 1:44 am
      Permalink

      É envolvente mesmo, né? 🙂 Não propriamente aterrorizante, mas uma leitura divertida que a gente lê super rápido. King é sempre massa 🙂

      Resposta
  • setembro 21, 2017 em 6:02 pm
    Permalink

    Sabem se vai sair alguma adaptação para o cinema? Eu queria muito!

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: