O Nevoeiro, o conto de Stephen King que deu origem à série

Por Raquel de Mattos – Antes de mais nada, esclareço que a minha resenha aqui se resume ao livro/conto de Stephen King, presente no livro “Tripulação de Esqueletos”. Não vou comparar a recente minissérie da Netflix com o que eu acabei de ler. Uma pincelada aqui ou ali, até pode ser, mas não uma crítica comparativa. Entretanto, se você, como eu, viu primeiro a série e depois leu a história, entende que não é possível compará-las. Na Netflix, foi usado somente o tema do livro para se construir uma história qualquer, ok? Sem críticas. Só estou estabelecendo um parâmetro. Ambas só tem exatamente essa ideia em comum: o nevoeiro. E só. Mas vamos ao livro.

Um nevoeiro esquisito se abate sobre uma cidade do Maine depois de alguns dias de muito calor e uma tempestade avassaladora. A família Drayton se separa – pai e filho vão ao supermercado enquanto a mãe fica em casa – e aí então o afamado nevoeiro chega.

Muita confusão, mortes de todas as formas, brigas. King até poupou o sangue, mas ainda assim, há uma quantidade considerável. Gostaria de ter visto mortes mais bizarras, mas elas não foram tantas assim. É um livro meio parado pela proposta, mas como é relativamente curto, dá pra ler em um ou dois dias.

Eu sou o tipo de pessoa que gosta de explicações e vou adiantar – se é isso que você espera nesse livro, não é isso que você terá. Tudo fica sem explicação. Tem quem goste de finais abertos, mas eu sinto um amargo na boca quando o livro acaba e as soluções não vêm. Cheguei a voltar algumas páginas para ver se não havia deixado passar nada! Na série, o final também é aberto e, quando acabei de assistir, confesso que corri para o livro em busca de explicações. Ledo engano. Mas não deixa de ser uma leitura interessante, se você quiser uma leitura rápida, com um toque de suspense – medo mesmo ele não deu.

Parece que o filme de 2007 dá esse monte de explicação que o livro não deu – ou deixou muito subentendido – e já quero assistir! Minha mente clama por explicações e assim, quem sabe, o livro passe a fazer mais sentido. Créditos ao autor, sua leitura é envolvente e ele consegue fazer até uma história simples ficar atraente; sua construção de personagens e cenário é séria e isso é bastante agradável, a despeito do roteiro da história. Não é à toa que ele é King – o Rei do Maine!

Espero que meu próximo King (ainda não sei qual, mas aceito sugestões!) seja mais empolgante que O Nevoeiro. Abraços literários e até à próxima!

Compartilhe aqui!
  • 37
    Shares

Raquel de Mattos

Carioca aquariana da gema, museóloga em Barretos (SP). Fã de Agatha Christie, descobriu diversos autores fantásticos ao longo da estrada da literatura policial. Ama café, livros e chocolate e é fácil de ser agradada!

17 comentários em “O Nevoeiro, o conto de Stephen King que deu origem à série

  • setembro 20, 2017 em 7:57 pm
    Permalink

    O final do filme é diferente do conto. Na minha opinião, um dos melhores finais de filmes de terror dos últimos 10 anos!

    Resposta
    • setembro 29, 2017 em 6:29 pm
      Permalink

      Que bom que vc gostou, Renato! Eu sou uma pessoa prática e que gosta de conclusões e pra mim foi bem difícil abstrair para entender o final da série. Do livro, eu fiquei meio sem entender tb, mas já li uns spoilers que me ajudaram! 😀

      Resposta
    • setembro 29, 2017 em 6:34 pm
      Permalink

      Que bom que vc gostou, Renato! Eu sou uma pessoa prática e que gosta de conclusões e pra mim foi bem difícil abstrair para entender o final da série. Do livro, eu fiquei meio sem entender tb, mas já li uns spoilers que me ajudaram!

      Resposta
  • setembro 23, 2017 em 9:35 pm
    Permalink

    Raquel, o primeiro livro do King que li foi Escuridão Total Sem Estrelas. Muitos contos bons por lá, mas alguns sofrem do mesmo final aberto até demais. Depois, li Cujo, e recomendo bastante, já que é uma história mais concisa. Fica a dica.

    Resposta
    • setembro 29, 2017 em 6:31 pm
      Permalink

      É, Rodrigo, já me disseram mesmo que ele gosta de finais abertos e eu realmente fico tensa com essas coisas. Tem muita gente que gosta, mas eu sou da velha guarda…rs! Mas colocarei Cujo na minha não tão pequena lista! Abs

      Resposta
  • setembro 24, 2017 em 4:53 pm
    Permalink

    Adorei seu texto, é bem por aí mesmo no conto! Não vi a série da Netflix, mas li o conto e depois vi o filme. Amei os dois. Os finais são ótimos, mas preferi o do conto. Só uma questão de gosto, porque tanto o filme quanto o livro são obrigatórios

    Resposta
    • setembro 29, 2017 em 6:33 pm
      Permalink

      Oi, Adriana! Obrigada! Eu estou querendo ver o filme, pois já me disseram que explica bastante coisa. Aí tendo visto a série o filme e lido o livro, pode ser que alguma coisa faça sentido pra mim! Abs

      Resposta
  • novembro 5, 2017 em 6:31 am
    Permalink

    Gostei ,muito deste filme, e só conheci há três semanas. Gosto de astrobiologia.

    Resposta
    • janeiro 30, 2018 em 5:03 pm
      Permalink

      Oi, Elaine! Olha, eu realmente não sei te dizer. Na Netflix só tem a série. Você deve encontrar em sites de filmes online, mas eu ainda não procurei.
      Abs

      Resposta
  • fevereiro 19, 2018 em 11:04 am
    Permalink

    Eu vi o filme primeiro e amei demais. Mas o final nao vou te dar spoilers mas e chocante!!! Eu vo e fiquei tipo:
    -que? Nao!!!.
    Eu acho que vc vai gostar.
    Gostei da materia, tava a muito tempo procurando esse conto nos livros de Stephen King.

    Resposta
    • fevereiro 19, 2018 em 5:41 pm
      Permalink

      Ah, infelizmente eu já sei o final (me deram um mega spoiler!), mas eu ainda pretendo ver!
      Obrigada
      Abs

      Resposta
  • abril 26, 2018 em 10:28 pm
    Permalink

    Experimente trocas macabras

    Resposta

Deixe uma resposta

Assine a news

Lançamentos, resenhas e curiosidades sobre livros de suspense e mistério. É só assinar a news do Literatura Policial :)

* indicates required
Holler Box
%d blogueiros gostam disto: