Em entrevista, Gillian Flynn fala sobre a adaptação de Objetos Cortantes

Objetos Cortantes é o primeiro livro de Gillian Flynn, mesma autora de Garota Exemplar. A história foi adaptada para a TV e estreia dia 8 de julho na HBO. A série é protagonizada por Amy Adams, tem oito episódios e direção Jean-Marc Vallée (Big Little Lies).

 

 

O livro narra o retorno da repórter Camille Preaker, recém-saída de um hospital psiquiátrico, à sua cidade natal para investigar o brutal assassinato de uma menina e o desaparecimento de outra. À medida que as investigações para elaborar sua matéria avançam, Camille passa a desvendar segredos perturbadores, tão macabros quanto os problemas que ela própria enfrenta (confira a resenha aqui).

Em entrevista ao jornal The Times, a autora falou mais sobre a adaptação e seus livros, sempre presentes na lista de mais vendidos.

 

Imagem: HBO

Sobre o mercado literário

“O que eu lia de sobra eram livros sobre homens, sua raiva, autoflagelação e violência, e com o que essa violência parecia de geração para geração… O que sentia era uma completa ausência de qualquer algo que examinasse como as mulheres processam a raiva.”

 

Sobre Garota Exemplar

“Com Garota Exemplar, eu definitivamente senti que eles estavam pensando: ‘Vamos deixar você escrever este primeiro rascunho, e então você provavelmente vai embora’… Mas David Fincher gostou do primeiro rascunho então eu estava a bordo.”

 

Sobre Objetos Cortantes

“Foi o meu primeiro livro e tive uma comunhão particular com ele… Francamente, foi também o que eu senti que poderia ter ido mais longe. Tem aquela pitada de gótico, e nas mãos erradas pode acabar de forma exagerada.”

 

Queria ser uma repórter de crime

“Sempre fui fascinada pela violência e pelo motivo das coisas darem errado, principalmente para pessoas as quais as coisas não deveriam dar errado… Acho que ou as pessoas querem olhar embaixo da rocha ou não. Eu sempre fui do tipo “O que há sob essa pedra?” Sempre”.

“Acontece que eu não consigo suportar a realidade, não consigo ter essas histórias verdadeiras na minha cabeça… eu não faço pesquisa, mas posso imaginar coisas.”

 

 

Sobre Objetos Cortantes ser autobiográfico

“Eu estava vivendo um tipo de vida bêbado, não necessariamente saudável, tipo a Camille… Eu não me agredia ou me machucava mas às vezes eu entrava em depressão, e eu sempre tive um senso de autodestruição afiado. Acho que muitas pessoas têm, especialmente mulheres.”

 

Influência de Dennis Lehane

“Por muito tempo, Objetos Cortantes era apenas mulheres em uma série de salas, falando sobre violência e raiva”, continua ela. Após ler Sobre Meninos e Lobos, livro de Dennis Lehane sobre três homens irrevogavelmente ligados por um incidente violento de seu passado. “De repente eu entendi… Eu poderia anexar um mistério ao livro, e era isso que me daria o motor da história. Eu aprendi que mistérios são uma maneira de eu falar sobre todas as coisas que eu quero falar.”

 

[Imagens: Divulgação, Variety]

Compartilhe aqui!
  • 19
    Shares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Que tal assinar a nossa newsletter?

Holler Box