georges simenon

Dois livros de Georges Simenon são publicados em janeiro


quarto azul dançarina do cabare

Em janeiro, a Companhia das Letras dá continuidade às publicações do amplo catálogo do escritor belga Georges Simenon no Brasil. Serão lançados dois títulos no mês: A dançarina do cabaré, o oitavo romance policial da série Comissário Maigret publicado pela editora, e O quarto azul, livro que pertence às obras mais reflexivas e diretas produzidas pelo autor. Confira as sinopses a seguir.

x

A DANÇARINA DO CABARÉ, Georges Simenon

dançarina do cabare

simenon_cachimbo

Em Liège, cidade belga onde Simenon nasceu, Maigret observa à distância dois garotos acusados de assassinar um estrangeiro rico. Quando a amizade entre os suspeitos é posta à prova, diferenças saltam à vista e ajudam o comissário a desvendar o enigma.

Uma curiosidade quanto a esse livro: dizem que Simenon escreveu o romance todo, originalmente publicado em novembro de 1931, em apenas 25 horas!

 

x

O QUARTO AZUL, Georges Simenon

quarto azulTony Falcone e Andrée Despierre não se viam desde a infância. Numa noite de setembro, reencontram-se por acaso e tornam-se amantes. Durante onze meses marcam encontros no “Quarto Azul” de um hotel mantido pela irmã de Tony. No último encontro, porém, o marido de Andrée, Nicolas, é visto caminhando em direção ao hotel. Bem naquele dia, ela se declarara, sugerindo que abandonem os casamentos e fiquem juntos. Tony consegue fugir antes de ser flagrado – mas, pouco depois, a morte repentina de Nicolas o deixa em situação complicada. Publicado em 1964, O quarto azul figura entre os célebres “romances duros” de Georges Simenon – aqueles que não trazem o comissário Maigret como protagonista, mas mergulham em atmosferas sombrias e personagens perturbados. As cenas de sexo são cruas e completamente desprovidas de eufemismo. Logo nas primeiras páginas, Tony está orgulhoso de ver seu sêmen escorrer da vagina da amante enquanto tenta com um pano aplacar a ferida que ela lhe fez com uma mordida no lábio. O mesmo vale para a violência e os sentimentos dos personagens: tudo no livro é seco e dito da forma mais direta possível. Tony e Andrée caminham por um mundo embrutecido e parecem alheios à culpa, ao pudor, ao arrependimento. Adaptado para o cinema em 2014 – o longa é estrelado pelo francês Mathieu Amalric -, O quarto azul sintetiza os melhores atributos da obra de Simenon e mantém o leitor sem fôlego até a última página.

x

ana2

Anúncios

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s