Colunas

As opiniões e resenhas publicadas no literaturapolicial.com não necessariamente refletem a opinião dos outros colunistas do site. Elas são de responsabilidade pessoal dos seus autores.

notacoluna2
josue
Primeira página – Conflito na Baiana, JM Costa
Primeira página é um romance policial urbano onde não há um mistério a ser desvendado; o crime é cometido a céu aberto. A narrativa se concentra no que essa agressão desencadeia: uma frenética sucessão de acontecimentos que mantêm o leitor num constante estado de expectativa.

notacoluna5autor2
Meu amigo Dahmer, Derf Backderf
É natural e esperada uma certa dose de curiosidade mórbida, né? Embora evitemos admitir, uma parte sombria de cada um de nós insiste em saber de detalhes escabrosos de um crime ou quer ver imagens chocantes de cadáveres e coisas pútridas. Talvez por isso massacres, tragédias e psicopatas nos atraiam ainda. É um misto de fascínio e repulsa, que nos faz querer explicar as razões de um cidadão aparentemente normal acumular corpos em casa e, depois, devorá-los. Tendemos a acreditar que dois atalhos nos ajudariam a compreender o horror: adentrar a mente labiríntica do criminoso ou vasculhar o seu passado. O cartunista Derf Backderf optou pela segunda via em “Meu Amigo Dahmer”, onde conta parte do seu convívio no ensino médio com um dos mais famosos assassinos seriais da história, Jeffrey Dahmer. E a jornada a que Derf nos conduz é escabrosa em muitos aspectos…

notacoluna1outro3
PD JAMES, a baronesa do crime
PD James foi uma das autoras policiais mais conhecida dos leitores. Ela nasceu em 3 de agosto de 1920 no Reino Unido, e morreu em 27 de novembro de 2014, aos 94 anos. Ela criou dois personagens para estrelar suas histórias: o detetive Adam Dalgliesh e a detetive Cordelia Gray. Quer conhecer um pouco sobre A Baronesa do Crime? Então confere no vídeo.

notacoluna4perfil rodrigo2
O bazar dos sonhos ruins, Stephen King
O que faz nossas conexões cerebrais dançarem? O que massageia nossa mente, alivia o espírito e nos diverte? Não sei pra você, mas pra mim, uma boa receita seria: duas xícaras de tragédia, três colheres de ironia, meio copo de sarcasmo, sete gotas de suspense e uma colher de sobremesa de terror. Misture tudo e bata no liquidificador. Em seguida, disponha o conteúdo em pequenas formas antiaderentes e leve ao forno por trinta minutos. Agora é só esperar esfriar e degustar acompanhado de uma boa caneca de café.


Entrevista com a tradutora de Edgar Allan Poe
Edgar Allan Poe voltou para as livrarias este ano numa nova edição da Darkside Books, parte da bela série Medo Clássico publicada pela editora. Poe abordou como ninguém o suspense e o mistério em suas histórias, e até hoje conquista leitores com sua obra universal. Nosso colunista Alexandre Amaral conversou com Marcia Heloisa, a tradutora da edição da Darkside Books.

notacoluna3luciana_p
O casal que mora ao lado, Shari Lapena

Anne e Marco Conti são convidados para um jantar na casa dos vizinhos Cynthia e Graham, que está de aniversário. Atendendo ao pedido da vizinha, eles não levam sua filha Cora junto, já que Cynthia não suporta bebês. Mesmo com o cancelamento da babá em cima da hora, eles decidem deixar Cora em casa, já que eles estariam ali do lado, levariam a babá eletrônica e a cada meia hora um dos dois iria até o quarto da bebê ver se está tudo bem. Mas quando eles voltam para casa Cora não está no seu berço.

notacoluna_raquelraquel_p
República Paradiso, Sergio Lang
Com um nome atrativo, nos desviando da temática tensa que vem a seguir, o autor conseguiu trazer para a literatura policial brasileira uma narrativa interessante e que empolga os amantes de história. Para um romance de estreia, o livro é ótimo!