Quais os principais venenos usados nos livros de Agatha Christie?

Quais os principais venenos usados nos livros de Agatha Christie?

 

Conhecida por sua habilidade em usar venenos em seus romances policiais, Agatha Christie tinha um grande entendimento sobre estas substâncias letais.

Isso porque a autora foi enfermeira na Primeira Guerra Mundial, época em que aprendeu sobre diversos tipos de veneno e aprimorou seus conhecimentos químicos. E para quem ama seus livros de suspense, agora há como descobrir um pouco mais sobre quatorze venenos usados em quatorze romances policiais da escritora.

Dicionário Agatha Christie de Venenos foi escrito por Kathryn Harkup, e está sendo lançado no Brasil pela Darkside Books. O livro é ideal para quem quer conhecer mais sobre as substâncias usadas nas histórias para matar personagens, como cianureto, estricnina, arsênico e tálio. Tem também a explicação sobre a forma como o veneno mata, se existem antídotos e ainda a gente fica conhecendo casos reais e bizarros de envenenamento que entraram pra história, sendo que alguns deles podem até ter inspirado a autora a criar suas próprias tramas.

O livro é dividido em 14 capítulos (mais a introdução e apêndices), e cada capítulo tem o nome de um veneno e um livro associado a ele. Então nós temos A de Arsênico, por exemplo, em É Fácil Matar, T de Tálio em O Cavalo Amarelo, C de Cicuta em Os Cinco Porquinhos, e por aí vai.

No vídeo abaixo, eu e a Madame Agatha Killer, do canal Lar da Agatha, falamos sobre cada um desses venenos e sobre as curiosidades que a gente achou mais legais nessa leitura.

* Vídeo com leves spoilers

 

Confira o vídeo

Inscreva-se no canal

 

SOBRE O LIVRO

Título: Dicionário Agatha Christie de Venenos
Autora: Kathryn Harkup
Tradução: Camila Fernandes
Páginas: 312
Editora: Darkside Books
Compre o livro

SINOPSE – Agatha Christie, a grande dama do romance policial, se deleitava ao usar veneno para matar as infelizes vítimas em seus romances. De fato, envenenamento foi o método mais utilizado quando era preciso eliminar alguém sem deixar pistas e, com frequência, o próprio veneno é parte central de muitas de suas obras. O que poucos sabem é que a escolha de substâncias mortais estava longe de ser aleatória. Muitas vezes, as características de cada um dos venenos selecionados fornecem pistas cruciais para a descoberta do assassino. Se com tiros e facadas a causa da morte é óbvia, este não é o caso dos venenos. Mas como é que alguns compostos são tão letais, ainda que em quantidades tão pequenas? O extenso conhecimento da romancista sobre química compõe a essência deste Dicionário Agatha Christie de Venenos. Durante a Primeira Guerra Mundial, a escritora atuou como enfermeira voluntária num hospital de sua cidade, Torquay, Inglaterra, e quando um novo dispensatório foi aberto na instituição, ela foi trabalhar lá. A nova função exigia treinamento adicional e exames para se qualificar como auxiliar de farmácia ou dispensária, o que Christie fez em 1917. Na época, as receitas médicas eram preparadas à mão; venenos e substâncias perigosas eram pesados e verificados com cuidado antes de ser entregues. Ao longo dos anos, a Dama do Crime montou uma biblioteca médico-legal considerável, sendo The Extra Pharmacopoeia, a obra mais completa e importante de Martindale, o livro mais consultado de sua coleção. Kathryn Harkup, com formação na área química, investiga catorze venenos usados pelos assassinos em catorze mistérios clássicos de Agatha Christie, e analisa como certos produtos químicos interagem com o corpo e por que matam. Além disso, a autora, leitora e grande fã da obra de sua homenageada, detalha os casos que podem ter inspirado Christie e a viabilidade de obter, administrar e detectar esses venenos, tanto na época em que os romances foram escritos quanto hoje. O minucioso trabalho de Harkup inclui ainda uma incrível pesquisa com o resumo de todos os assassinatos relacionados à veneno na obra de Christie. Como afirma a autora no texto de abertura do Dicionário Agatha Christie de Venenos, “Christie se aproveitou de seu detalhado conhecimento sobre substâncias perigosas para desenvolver as tramas. Usou venenos na maior parte dos livros, muito mais do que qualquer um de seus contemporâneos, e com alto grau de precisão, mas não esperava que o leitor tivesse perícia médica. Os sintomas e a eficácia das substâncias são descritos de modo sucinto e na linguagem cotidiana […]. Compreender a ciência por trás dos venenos que Christie usava só permite apreciar ainda mais sua inteligência e criatividade ao tecer tramas”. Dicionário Agatha Christie de Venenos é uma obra para todos os fãs de Christie, de mistério e de true crime, mas também para aqueles que gostam de conhecer a ciência e o raciocínio lógico que se esconde por trás de grandes obras literárias. Uma verdadeira celebração do uso da ciência pela eterna Dama do Crime que nos envenenou com seu talento.