NETFLIX | Quem são os personagens de O Diabo de Cada Dia

NETFLIX | Quem são os personagens de O Diabo de Cada Dia

 

COM SPOILERS – Com estreia prevista para 16 de setembro na Netflix, O Diabo de Cada Dia é uma adaptação do romance de estreia de Donald Ray Pollock, O Mal Nosso de Cada Dia.

Ambientada na década de 1960, a história acompanha a vida de um grupo de pessoas em pequenas comunidades nos estados de Ohio e Virginia, leste dos Estados Unidos. A época abrange do pós-guerra ao conflito no Vietnã, refletindo um momento de desesperança e angústia na vida das pessoas.

O filme da Netflix, que tem direção de Antonio Campos (filho do jornalista brasileiro Lucas Mendes), conta com grande elenco. Leia sobre os principais personagens, cujo livro foi publicado no Brasil pela Darkside Books.

* O texto abaixo contém revelações da história.

 

Arvin Russell (Tom Holland)

Filho de um combatente da Segunda Guerra Mundial, seu pai jamais se recuperou dos traumas vivenciados como soldado. Após perder a mãe para uma doença, Arvin encontra o corpo do pai, que se mata por não aguentar a perda. Ainda uma criança, ele será educado pela avó. Durante os anos, tentará conter impulsos hostis que sente em relação ao mundo, ao mesmo tempo em que procura fazer escolhas corretas. No filme, será vivido por Tom Holland.

 

Preston Teagardin (Robert Pattinson)

Recém-chegado na Igreja do Sagrado Espírito Santo de Coal Creek, o pastor Preston Teagardin irá substituir o tio, reverendo que está padecendo de uma doença. Mostra-se um homem dissimulado e mentiroso, que engana fiéis com falsos discursos enquanto trai a esposa com jovens da região. Sua trajetória muda quando cruza o caminho de Arvin Russell. Robert Pattinson será o reverendo na adaptação.

 

Willard Russell (Bill Skarsgård)

Pai de Arvin, um homem que guarda lembranças perturbadoras dos dias como combatente na Segunda Grande Guerra. Tenta construir a vida de forma honesta ao lado da esposa, Charlotte (Haley Bennett), mas não suporta vê-la morrer em decorrência de um câncer. Comete suicídio logo após a morte da mulher, deixando o pequeno Arvin órfão. Interpretado por Bill Skarsgård.

 

Lee Bodecker (Sebastian Stan)

Policial no condado de Ross, em Ohio. Homem ambicioso e corrupto, seu objetivo é conquistar poder mesmo infringindo a lei, fechando os olhos para irregularidades ou matando. É protetor da irmã, Sandy. Vivido por Sebastian Stan.

 

Sandy Henderson (Riley Keough)

Irmã do policial Bodecker, vivida no filme por Riley Keough. Trabalha como garçonete em uma lanchonete decadente, aceitando propostas esporádicas de clientes e insatisfeita com a própria vida. Casada com Carl Henderson, com quem comete crimes nas viagens de férias do casal, matando caroneiros após torturá-los e roubá-los.

 

Carl Henderson (Jason Clarke)

Fotógrafo frustrado e desempregado, é casado com Sandy Henderson. Desenvolve uma relação doentia com a mulher, que finge não perceber sua loucura. Com ela, torna-se um serial killer nas viagens de carro feitas durantes as férias. Seu entusiasmo na vida é assassinar caroneiros após fazê-los ter relação sexual com a esposa, já que ele é impotente. Guarda as fotografias dos corpos em caixas para admirá-las secretamente. No filme, será interpretado por Jason Clarke.

 

Conheça o livro

Inscreva-se no canal

 

SOBRE O LIVRO

Título: O mal nosso de cada dia
Autor: Donald Ray Pollock
Tradução: Paulo Raviere
Páginas: 304
Editora: Darkside Books
Compre o livro

SINOPSE – Em uma cidade esquecida no interior de Ohio, a esposa de Willard Russell está à beira da morte, não importa o quanto ele beba, reze ou faça sacrifícios e oferendas. Com o passar dos anos, seu filho Arvin, uma criança negligenciada, torna-se um homem frio e cruel. Em torno deles, circula um nefasto e peculiar grupo de moradores ― um insano casal de assassinos em série, um pastor que come aranhas e um xerife corrupto ―, todos entrelaçados numa viciante narrativa da mais corajosa e sombria lavra americana. Donald Ray Pollock, o novo autor da DarkSide® Books, promete causar alvoroço nos corações mais frágeis. Ele constrói, com maestria, uma trama hiper-violenta, ambientada no pós-Segunda Guerra, repleta de personagens desagradáveis em um cenário devastador, cruéis o suficiente para cometerem crimes com a casualidade de quem troca de roupa. Mas isso não é tudo. Há muito mais por trás das manchas de sangue, da avareza e da mesquinharia: o desespero e as limitações de uma cidade pequena, a frustração de seus habitantes, a síntese de quem não equilibra luz e sombra dentro de si. O autor elabora uma narrativa tensa e profundamente perturbadora em seu primeiro romance. Pollock se insere na linhagem dos grandes contadores de histórias da América, como John Steinbeck e seu realismo, William Faulkner e Flannery O’ Connor e o magistral gótico sulista e Cormac McCarthy e seu visceral Onde os Velhos Não Têm Vez. Uma produção original Netflix, a adaptação cinematográfica do livro ― prevista para setembro de 2020 ― conta com direção do brasileiro Antonio Campos (Afterschool e The Sinner), produção do ator Jake Gyllenhaal e um elenco cheio de estrelas de Hollywood, protagonizado por Sebastian Stan (Capitão América), Tom Holland (Homem-Aranha), Robert Pattinson (só lembramos de O Farol), Bill Skarsgard (It: A Coisa), Mia Wasikowska (Alice no País das Maravilhas) e Eliza Scanlen (Objetos Cortantes). Se você é apaixonado por histórias sombrias e sinistras, O Mal Nosso de Cada Dia é o som e a fúria da nova literatura. Feche os olhos e comece a rezar.

(Imagens: IMDB, divulgação)