Conheça Simenon e o detetive Maigret

Conheça Simenon e o detetive Maigret
Compartilhe

 

MESTRES DA FICÇÃO – Você sabia que Georges Simenon usou 27 pseudônimos antes de ficar famoso? Um dos mais importantes escritores do século 20, Simenon publicou o primeiro livro com o detetive Maigret em 1931, escrevendo um total de 75 romances com o personagem.

Simenon nasceu em Liège, na Bélgica, em 13 de fevereiro de 1903 e morreu em Lausanne, na Suíça, em 1989. Ele é o quarto autor de língua francesa mais traduzido no mundo.

* Encontre livros e e-books de Georges Simenon

 

Veja o vídeo

Inscreva-se no canal

 

DICA DE LEITURA

Título: O cachorro amarelo
Autor: Georges Simenon
Tradução: Eduardo Brandão
Páginas: 136
Editora: Companhia das Letras
Compre o livro/e-book

SINOPSE – Georges Simenon reinventou a literatura de mistério. Antes dele, o que definia os romances do gênero era a busca pelo assassino. O escritor deixava uma série de pistas ao longo do livro e cabia ao leitor, ao fim, juntar as peças para tentar adivinhar a identidade do criminoso. Depois do surgimento do Comissário Maigret, em 1931, o cenário mudou. Simenon fez da identidade do matador uma questão menor em relação ao que realmente importava para ele: as motivações do crime. Seus assassinos não são apenas vilões, mas personagens complexos, de grande densidade psicológica, para quem o crime é por vezes a única saída. A pergunta não era mais “quem matou”, mas “por quê”? Maigret, nesse sentido, é uma mistura de policial, detetive e psicólogo, sempre disposto a decifrar as mínimas nuances da personalidade de quem está investigando. O cachorro amarelo se passa na cidade costeira de Concarneau, na região francesa da Bretanha. Após o assassinato de um mercador de vinhos, Maigret passa a desconfiar de Emma, uma garçonete submissa. A chave para a resposta, contudo, está num misterioso cachorro amarelo que vaga pelas redondezas e costuma repousar aos pés de Emma. A popularidade do comissário Maigret – seu personagem mais famoso – e as diversas adaptações para o audiovisual contribuíram para reforçar a imagem de Georges Simenon como um autor de livros para consumo rápido. Nada mais equivocado. Simenon figura entre os grandes escritores do século XX. Entre seus milhares de admiradores ilustres, André Gide, Charles Chaplin, Henry Miller, William Faulkner e Federico Fellini eram os primeiros da fila. Além das muitas histórias policiais, produziu 41 “romances duros”, obras em geral maiores no tamanho e na ambição, construídas fora dos esquadros das tramas de investigação e não raro incluídas no cânone da literatura europeia.

7 comentários sobre “Conheça Simenon e o detetive Maigret

    1. Não, o primeiro livro oficial de Maigret é de 1931, Pietr-le-Letton, em português Pietr O Letão. O que ocorre é que Simenon começou a imaginar Maigret dois anos antes, em 1929, e foi desenvolvendo o personagem até 1931 quando finalmente publicou Pietr. Mas antes de 1931 ele escreveu L’Amant sans nom (1929) sob o pseudônimo Christian Brulls, onde já aparecia um personagem parecido com Maigret (o agente Nº 49), e também escreveu Une Ombre dans la nuit (1929) onde Maigret é um médico. O detetive aparece já mais encorpado nas histórias em série de 1930 Train de nuit (1930) e La Maison de l’inquiétude, e no ano seguinte ganha finalmente o primeiro livro oficial, primeiro de muitos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *