divulgação

Coletânea reúne causos sobrenaturais do interior paulista


DIVULGAÇÃO – Noivas fantasmas, o Unhudo – ser lendário defensor das florestas -, aparições tenebrosas, o caboclinho d’água e até um lobisomem estão entre os 14 “causos” da coletânea Quem conta um conto… Onze visões do sobrenatural (11 Editora, R$ 39,90). O livro traz narrativas de onze autores ambientadas na região de Jaú (Centro-Oeste paulista), sob a organização da editora Léa Prado.

Um dos causos mais conhecidos em boa parte do interior paulista é o do Unhudo. Registram as lendas que se trata de um “corpo seco”, um morto-vivo que habitaria em uma das pequenas grutas do monte Pedra Branca, próximo às divisas entre os municípios de Mineiros do Tietê e Dois Córregos. Há décadas existem relatos de que esse ser fantástico defenderia a fauna e a flora, repelindo caçadores e intrusos.

O escritor e folclorista Heusner Grael Tablas, que participa da coletânea com a história do Unhudo, diz que escrever sobre essa lenda chega a ser uma contribuição social.

“Estamos falando de um fantasma a defender a floresta ao redor do monte Pedra Branca, que não permite a presença de intrusos colhendo orquídeas ou jabuticabas silvestres naquela mata, e cujo tapa pode arremessar um invasor para o outro lado do Rio Tietê”, afirma. “E se, atualmente, o ser humano já não consegue defender a natureza selvagem, talvez a ajuda sobrenatural seja a nossa derradeira esperança e o Unhudo se faz necessário.”

O livro também traz contos sobre fenômenos “poltergeists” em um bairro rural chamado Barra Mansa, aparições fantasmagóricas em uma escola construída sobre um antigo cemitério, um lobisomem que apavora a comunidade de Pouso Alegre de Cima, espectros de noivas que surgem do nada, entre outros.

A proposta, conforme a editora Léa Prado, é resgatar contos e causos extraordinários supostamente ocorridos nos ambientes rural e urbano do interior paulista, que vêm sendo transmitidos de geração a geração pela tradição oral. “São histórias que registram e valorizam as memórias da região onde nasceram”, afirma. “Constituem um patrimônio imaterial muito rico, que merece ser conhecido e preservado.”

A coletânea tem 96 páginas em narrativas de Adão Levorato, Afonso Caramano, Carlos Eduardo Monte, Dirceu Barbosa, Elias Fernando Gonzales (Biuê), Fábio Grossi dos Santos, Heusner Grael Tablas, Ivy Fini Rodrigues, Maria Toledo Arruda Galvão de França, Paulo Eduardo Giuseppin (Paulo Pin) e Paulo Oscar Ferreira Schwarz.

O livro pode ser adquirido na loja virtual da 11 Editora.

Anúncios

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s