O MÉDICO E O MONSTRO | Viajando pelo universo fantástico de Robert Louis Stevenson

 

Por Ana Paula Laux – Histórias de terror escritas há cem anos ainda causam espanto hoje, em um mundo tecnológico tão singular? Os medos do ser humano continuam os mesmos? A obra deixada pelo escritor escocês Robert Louis Stevenson garante que sim.

O Médico e o Monstro e outros Experimentos é uma bela edição ilustrada dos contos de Stevenson que faz jus à importância da sua obra. Ele, autor que viveu brevemente e não deixou um legado literário extenso, ainda é lembrado por clássicos como A Ilha do Tesouro (1883) e O Médico e o Monstro (1886). Morto aos 44 anos em 1894, Stevenson é atualmente o 26º autor mais traduzido no mundo.

Esta edição ilustrada da Darkside Books vem com oito contos do autor, trazendo introdução, tradução e notas de Paulo Raviere, ilustrações de Alcimar Frazão e uma recheada galeria de imagens. Alguns contos permanecem muito bons, outros são regulares, porém todos carregam um toque peculiar de fantasia, suspense e horror elementar.

A saúde debilitada de Robert Louis Stevenson o levou a viajar pelo mundo à procura de terras mais quentes para viver, como Havaí e Samoa, e nestes lugares ele criou histórias imersas em universos fantásticos. Então não é de se espantar que o livro inicie com um exemplo do tipo, a mediana A Praia de Falesá (1892), fábula escrita quando ele habitava a ilha de Samoa.

O conto é sobre um homem que se casa com uma nativa de uma ilha do Pacífico, e que se envolve em situações atípicas no lugar. Aqui Stevenson trata indiretamente do colonialismo europeu, porém a história não tem o charme das suas conhecidas narrativas góticas, já que ele se vertia mais para o realismo literário neste período da carreira.

O Demônio da Garrafa (1892) é uma ótima história sobre um homem que compra uma garrafa onde vive um demônio. Ele poderá fazer quantos desejos quiser à criatura, mas deve vender a garrafa por menos do que pagou para não ter sua alma possuída pelo diabo. É um conto singelo mas bem escrito, com a capacidade de nos transportar para um interessante universo imaginário.

Em A Ilha das Vozes (1893), um homem originário de uma ilha do Havaí desafia um feiticeiro, pai de sua esposa, e é abandonado em uma outra ilha marcada por circunstâncias sobrenaturais. É um conto tão extraordinário que, apesar de criativo, peca em alguns momentos pelo excesso.

Na sequência vem o sobrenatural O Apanhador de Corpos (1884), um dos melhores da coletânea, sobre médicos que usam de vias criminosas para obter cadáveres para dissecação. A história foi inspirada no caso dos assassinatos de Burke e Hare, que envolviam o médico e anatomista escocês Robert Knox, conhecido por pagar por corpos de pessoas pobres que foram mortas na década de 1820.

Em Olalla (1885), conto gótico ambientado na Espanha, um soldado escocês se recupera de um ferimento em uma casa de família. Ele descobre que as pessoas que lá vivem têm segredos que levam a questionar sua humanidade. Uma curiosidade é que essa história foi escrita enquanto Stevenson revisava O Médico e o Monstro.

Markheim (1885) é sobre um homem que comete assassinato, e que é visitado supostamente pelo demônio logo após o crime. O conto começa bem, mas se torna maçante no final pela prolongada reflexão filosófica do protagonista acerca da essência do bem e do mal.

A penúltima história é Janet, A Entortada (1881), também sobre o demônio mas desta vez explorado na forma de possessão. É ambientada no século 18, sobre uma mulher empregada pelo padre da cidade que é vista pela população do vilarejo como uma bruxa que tem um pacto com o diabo.

O último conto é o sensacional O Médico e o Monstro (1886), provavelmente sua história mais celebrada e indiscutivelmente a melhor desta seleção. Também conhecida como O Caso Estranho do Dr. Jekyll e Sr. Hyde, é sobre um respeitado médico de Londres que mantém amizade com um homem grotesco e repudiado por todos. Seus amigos estranham a convivência inexplicável, até perceberem que há algo de anormal na relação entre os dois.

Apesar de pertencer ao cenário do final do século 19, a história é completamente envolvente. As descrições da vida londrina daquela época, bem como as sensações vividas pelos protagonistas, são dois pontos marcantes da história. De uma forma mais subjetiva, Stevenson propõe uma reflexão sobre o quanto de bem e mal há em cada um de nós, uma questão que certamente sempre encontrará palco para discussão.

Um destaque especial desta edição vai para as belas ilustrações do quadrinista Alcimar Frazão, que soube captar o espírito das histórias do Robert Louis Stevenson. Para quem quiser conhecer um pouco desse universo do autor, O Médico e o Monstro e outros Experimentos é uma dica mais do que ideal.

 

Veja o comentário em vídeo

 

* Livro enviado pela editora Darkside Books

 

SOBRE O LIVRO

Título: O Médico e o Monstro e Outros Experimentos
Autor: Robert Louis Stevenson
Tradução: Paulo Raviere
Ilustrações: Alcimar Frazão
Páginas: 352
Editora: Darkside Books
Compre o livro/e-book

SINOPSE – Todos temos um lado pouco conhecido, secreto, por vezes maligno e até monstruoso. Raros, porém, são aqueles que dão vazão a esta faceta. O escocês Robert Louis Stevenson soube retratar, como poucos, este aspecto das personalidades múltiplas em sua novela gótica, O Médico e o Monstro, publicada originalmente em 1886, em Londres. Considerado um dos três maiores clássicos do gênero de horror, ao lado de Frankenstein e Drácula, O Médico e o Monstro inspirou incontáveis traduções, adaptações, interpretações e homenagens ao longo das décadas. A DarkSide® Books, primeira editora brasileira inteiramente dedicada ao terror e à fantasia, anuncia a peça que faltava para completar a tríade monstruosa e atemporal na coleção Medo Clássico: O Médico e o Monstro & Outros Experimentos é o livro que todo darksider sempre sonhou. Capa dura para proteger o material de elementos químicos destrutivos, tradução cuidadosa de Paulo Raviere para honrar o trabalho de Stevenson, ilustrações impecáves de Alcimar Frazão para explorar as nuances metafóricas dos personagens ― e, claro, uma seleção de contos perfeita para quem quer conhecer ou revisitar o talento inigualável de Stevenson. Além da curiosa história do advogado Gabriel John Utterson preocupado com o comportamento estranho do seu amigo Dr. Henry Jekyll, outros “experimentos” de Stevenson que flertam com o terror e o sobrenatural estão presentes neste volume. É o caso dos contos “Markheim”, “O Apanhador de Corpos”, “Olalla” e “Janet, a Entortada”), sem falar nos contos de mistério e aventura (“A Praia de Falesá”), e fantasia (“O Demônio da Garrafa”, “A Ilha das Vozes”). Nenhuma dessas narrativas, porém, pode ser resumida a um gênero e enquadrada em apenas uma categoria. Alguns deles estão entre os mais brilhantes exemplares de ficção de horror do século XIX. Como aponta o tradutor Paulo Raviere na introdução do volume: “ ‘O Apanhador de Corpos’ é inspirado no célebre caso de Burke e Hare, serial killers escoceses que matavam para fornecer cadáveres a um professor de anatomia. Em ‘Markheim’, conto de horror psicológico, Stevenson evoca alguns dos grandes assassinatos ingleses do século XIX para narrar o desespero de um homicida imediatamente após o seu ato. ‘Janet, a Entortada’ é exploração linguística que, se em primeiro plano conta uma história de possessão demoníaca, mais a fundo sugere quão terrível pode ser uma multidão assustada e supersticiosa, mal que afligira a Europa durante a Inquisição, e atualmente apenas mudou de forma. ‘Olalla’ é o soturno relato do enfermo que decide passar uma temporada na villa de uma nobre, porém decadente família espanhola.” A edição conta ainda com ensaio de Marcel Schwob sobre o autor, publicado originalmente em 1896. Stevenson foi um artista que, feito raro mesmo entre os autores clássicos, entrou para o imaginário da sua época e foi ao mesmo tempo um sucesso de público e da crítica especializada. Agora, o autor de um dos maiores clássicos do terror finalmente recebe o tratamento dark que merece.A coleção Medo Clássico se consolida a cada mestre que entra em sua casa, fazendo uma homenagem aos grandes nomes da literatura que já causaram pesadelos inenarráveis aos leitores, década após década. As edições monstruosas trazem ilustradores brasileiros convidados e tradutores que respiram e conhecem profundamente as obras, além de imagens inéditas, rascunhos originais e textos de apoio. Mary Shelley, Bram Stoker, H.P. Lovecraft, Edgar Allan Poe e Robert Louis Stevenson estão em casa.

Ana Paula Laux

Jornalista. Trabalha com curadoria de informação, gestão de mídias sociais e criação de conteúdo digital. Em 2014, lançou o e-book "Os Maiores Detetives do Mundo" (Chris Lauxx). Contato: analaux@gmail.com
Compartilhe aqui!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Ana Paula Laux

Jornalista. Trabalha com curadoria de informação, gestão de mídias sociais e criação de conteúdo digital. Em 2014, lançou o e-book "Os Maiores Detetives do Mundo" (Chris Lauxx). Contato: analaux@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!