lista literária

9 curiosidades sobre Stieg Larsson


stieg_1984

Por Ana Paula Laux – Dando continuidade à série dos Mestres da Ficção que lançamos no Youtube, dessa vez o nosso especial será sobre Stieg Larsson, o sueco que criou a série Millennium e a incrível heroína Lisbeth Salander. Amplamente conhecido pela série investigativa lançada após a sua morte, pouca gente sabe que Stieg foi um importante ativista dos direitos humanos, e que provocava a fúria de extremistas e neonazistas com as denúncias que fazia através de artigos publicados na revista Expo e em outros canais.

Neste top literário mais descontraído, pesquisamos 9 fatos e curiosidades sobre a vida de Stieg Larsson, seus romances policiais e também sobre A Garota na Teia de Aranha, quarto volume lançado em agosto de 2015 e escrito por outro autor. Para conhecer mais a fundo sobre o Stieg político e seus primeiros anos de ativismo, sugerimos a leitura deste artigo.

Assista também este top no Youtube

x

1. Ele nasceu em uma cidadezinha minúscula
stieg_cidade
Que ele é sueco todo mundo que conhece a série meio que já sabe, mas a cidadezinha dele pode ser um mistério para os fãs. “Skelleftehamn” (pronuncia-se ruéléfterãm) tem pouco mais de 3000 habitantes. Foi construída em torno de um porto e fica no norte da Suécia, região onde, particularmente, faz frio pra dedéu.

x

2. Ele conheceu a esposa em uma manifestação
stieg_and_eva
Em 1972 e logo após fazer 18 anos, Stieg conheceu aquela que viria a ser sua futura companheira. Eva Gabrielsson tinha 19 anos e participava de uma manifestação contra a Guerra do Vietnã quando eles se encontraram. Os dois descobriram que apoiavam as mesmas causas e tinham modos muito parecidos de enxergar a vida. Eles ficaram juntos por 32 anos, até a morte de Stieg. Infelizmente, Eva não foi considerada a herdeira legal do marido pois eles nunca se casaram oficialmente. A justiça sueca, que provou não ser tão justa assim, considerou o pai e o irmão de Stieg os herdeiros oficiais do seu legado.

x

3. Ele tinha péssimos hábitos alimentares
giphy_food
Stieg Larsson tinha hábitos alimentares bem complicados, e que certamente contribuíram para prejudicar sua saúde. Seus alimentos favoritos eram geralmente pizzas frias, sanduíches de fast food (principalmente do MacDonald’s) e litros e litros de café.

x

4. Ele se inspirou em uma personagem infantil para criar Lisbeth
pippi
Para criar a heroína Lisbeth Salander, Stieg se inspirou numa outra personagem bem famosa da literatura infantil. Pippi Meialonga, a menina de nove anos muito forte e esperta que não tem família e enfrenta todos os perigos do mundo sozinha. Pippi é um ícone dos livros infanto-juvenis e foi criada por Astrid Lindgren.

x

5. Ele publicou outro livro além da série Millennium
1099
Apesar do reconhecimento mundial ter vindo com a série de thrillers policiais, Stieg Larsson já tinha publicado um livro antes. “Extremhögern” (ou A Extrema Direita, em tradução livre) foi lançado em 1990 em co-autoria com a jornalista sueca Anna-Lena Lodenius, mas ele não tem nada de ficção. O livro trata, como o próprio nome diz, do extremismo da direita na Suécia e também faz referência ao SAP, o serviço secreto sueco tão criticado por Stieg na série Millennium.

x

6. Ele morreu sob a suspeita de envenenamento
Stieg Larsson
Em novembro de 2004, meses antes de lançar o primeiro livro da série, Stieg Larsson teve um ataque cardíaco e morreu! Depois de subir sete andares de escada até a revista Expo, onde ele trabalhava, Stieg se sentiu mal e não resistiu. Ele tinha apenas 50 anos. No começo, especulou-se que a morte havia sido, na verdade, um assassinato, já que ele era um ativista que defendia os direitos humanos, provocava a ira de extremistas e já tinha recebido várias ameaças de morte. Mas depois foi realmente confirmado que ele teve um problema cardíaco por causa dos hábitos alimentares ruins e por fumar de duas a três carteiras de cigarro por dia.

x

7. O quarto livro saiu em 2015
teia
O quarto livro da série, “A Garota na Teia de Aranha”, foi lançado em agosto de 2015. A ideia de continuar a série foi do pai e do irmão do Stieg, que contrataram um jornalista sueco, o David Lagercrantz, pra manter Lisbeth Salander viva e atuante. A iniciativa causou polêmica por ser uma continuação não escrita pelo autor original, e foi criticada pela viúva de Stieg, que guarda um manuscrito original de um quarto livro inacabado. Se por um lado é uma pena saber que nunca mais haverá uma história original do Stieg Larsson para a série Millennium, por outro lado fãs da Lisbeth Salander se entusiasmaram com a ideia de ver a heroína em ação novamente, mesmo que pelas mãos de outro autor.

x

8. Ele tinha dois filmes favoritos
giphy5
Stieg Larsson tinha dois filmes favoritos. Um era o clássico “Psicose”, suspense de 1960 dirigido por Alfred Hitchcock, e o outro era, apenas, “Guerra nas Estrelas”, o primeiro filme de 1977 do George Lucas, que deu origem à série de ficção científica mais famosa do cinema.

x

9. A série vendeu quase 100 milhões de cópias
millennium_agatha
Quando era criança, Stieg Larsson era apaixonado por astronomia e sonhava em escrever um livro de ficção científica. Ele acabou não realizando esse sonho, mas deixou marcado no coração dos fãs os thrillers policiais da série Millennium. Os três livros que escreveu – Os Homens que Não Amavam as Mulheres, A Menina que Brincava com Fogo e A Rainha do Castelo de Ar – venderam impressionantes 80 milhões de cópias no mundo…

(Imagens: awesomestories.com, The Guardian, Pixabay, Leif Blom, divulgação)

ana2

Anúncios

2 replies »

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s