Londres recebe estátua de Mary Wollstonecraft, escritora, feminista e mãe de Mary Shelley

Londres recebe estátua de Mary Wollstonecraft, escritora, feminista e mãe de Mary Shelley

 

Uma das escritoras e ativistas mais importantes da história, a inglesa Mary Wollstonecraft será finalmente homenageada no país onde nasceu.

Londres vai inaugurar este mês uma estátua de Wollstonecraft, financiada através de uma bem sucedida campanha de arrecadação de fundos. A estátua é feita de bronze prateado, e traz na base a frase:

“Não desejo que as mulheres tenham poder sobre os homens, mas sobre si mesmas”.

Célebre defensora dos direitos das mulheres no século 18, Mary Wollstonecraft publicou Uma Reivindicação pelos Direitos da Mulher em 1792, uma das primeiras obras feministas. Ela também é conhecida por ter sido mãe de Mary Shelley, autora do clássico Frankenstein.

A estátua foi feita pela pintora e escultora Maggi Hambling, e ilustra uma mulher nua surgindo a partir de uma mistura de outros corpos femininos. Mary Wollstonecraft nasceu em 27 de abril de 1759 em Londres, e morreu aos 38 anos, dez dias após o parto de Mary Shelley, em 1797.

[Imagem: Divulgação]

 

DICA DE LEITURA

Título: Mulheres Extraordinárias: As Criadoras e a Criatura
Autora: Charlotte Gordon
Tradução: Giovanna Louise Libralon
Páginas: 625
Editora: Darkside Books
Compre o livro

SINOPSE – Mary Wollstonecraft e Mary Shelley nunca se conheceram de fato. Ainda assim, suas histórias estão inevitavelmente entrelaçadas por escolhas, sonhos e tragédias curiosamente similares. Ambas se tornaram escritoras famosas. Apaixonaram-se por homens geniais e impossíveis. Foram mães solteiras, com filhos fora do casamento. Viveram em exílio. Lutaram por uma posição na sociedade. Desafiaram os costumes da época. E eram mãe e filha. De um lado, a autora de Reivindicação dos Direitos da Mulher, uma das obras fundadoras do feminismo, que denunciou a exclusão das mulheres aos direitos básicos no século 18. De outro, a criadora de Frankenstein, verdadeiro ícone do terror ― e primeiro livro a ser lançado na coleção Medo Clássico da DarkSide® Books. Mulheres Extraordinárias: As Criadoras e a Criatura, biografia premiada assinada pela poeta e biógrafa Charlotte Gordon, enreda as vidas de Wollstonecraft e Shelley em uma verdadeira jornada entre gerações visionárias: duas mulheres que, embora tenham vivido poucos dias na companhia uma da outra ― Wollstonecraft morreu dez dias depois de dar à luz, de febre puerperal ―, compartilham um legado literário transformador. Por anos, estudiosos subestimaram o impacto de Wollstonecraft sobre Shelley; vistas como figuras desvinculadas que representavam filosofias e movimentos literários diferentes, parecia improvável que qualquer elo além da maternidade pudesse sequer existir. Neste livro, Charlotte Gordon revela como a influência de Wollstonecraft sobre a filha foi, na verdade, extremamente profunda. Shelley, que cresceu lendo e relendo os livros da mãe, nutriu o desejo de se tornar alguém e criar uma obra própria. Wollstonecraft, por sua vez, destinou boa parte de seu trabalho para a geração seguinte, visando um mundo mais justo e igualitário. Mulheres Extraordinárias: As Criadoras e a Criatura mostra como Wollstonecraft e Shelley ― vozes muito à frente de seu tempo ― permanecem exemplos para quem luta contra as injustiças de gênero de uma sociedade marcada pelo patriarcado. Envolvente e esclarecedor, o livro descortina duas vidas que deixaram como legado, sobretudo, a mensagem de resistência feminina. O livro é mais uma obra de não ficção a integrar a coleção DarkLove, a marca da DarkSide® Books especialmente pensada para corações românticos e valentes.