9 coisas que você precisa saber sobre HH Holmes, o serial killer vivido por Leonardo DiCaprio

9 coisas que você precisa saber sobre HH Holmes, o serial killer vivido por Leonardo DiCaprio

Atualizado em 02/09/2020

 

Via Bustle/ Danielle Jackson – Leonardo DiCaprio está produzindo uma série com o diretor Martin Scorsese, que será exibida na plataforma Hulu. A série é a adaptação do livro “O demônio na cidade branca”, de Erik Larson, publicado no Brasil pela Editora Intrínseca.

Na trama, o autor relaciona dois eventos marcantes que aconteceram no final do século 19 nos Estados Unidos: a Grande Exposição de Chicago em 1893, e a descoberta de um dos piores serial killers daquela época. Para conhecer a história,  clique aqui.

O filme será ambientado em 1893 e contará a história do arquiteto Daniel H. Burnham e do assassino em série H.H. Holmes, vivido por DiCaprio. Acredita-se que Holmes possa ter matado até 200 pessoas até ter sido capturado pela polícia.

 

1. Ele foi um dos primeiros serial killers dos Estados Unidos

A história é baseada em fatos reais, e por isso mesmo se torna ainda mais assustadora.

 

2. Seu nome verdadeiro era Herman Webster Mudgett

Nascido em 16 de maio de 1861 em Gilmanton, Nova Hampshire, Mudgett mudou seu nome para Dr. H. H. Holmes (uma aparente homenagem a Sherlock Holmes, como Larson menciona no livro) em 1886, depois que ele começou a trabalhar em uma farmácia. O dono da referida farmácia misteriosamente desapareceu antes de Holmes finalmente assumir o negócio.

 

3. Ele construiu um “castelo da morte” para torturar suas vítimas

Entre 1891 e 1892, Holmes construiu um “Castelo da Morte” em Chicago, que ele gerenciou como um hotel. Era um edifício de três andares que ele usava como sua própria moradia e um lugar para torturar e matar suas vítimas. Acredita-se que o “castelo” tinha quartos sem janelas, câmaras de gás, calhas feitas para a eliminação dos cadáveres e até mesmo um incinerador para queimar os corpos de suas vítimas.

 

4. Um personagem de American Horror Story foi inspirado nele

Se você é um fã da série American Horror Story – particularmente da quinta temporada, o Hotel – então a história de Holmes provavelmente vai lhe parece familiar já que o personagem de Evan Peters naquela temporada, James Patrick March, tem mais do que algumas coisas em comum com ele. Para refrescar sua memória, March era um serial killer em um hotel assustador que usava vários quartos e câmaras para matar suas vítimas de maneiras muito horríveis.

 

5. Ele vendeu os ossos de suas vítimas para escolas médicas

Como descreve Larson no livro, Holmes despejava corpos mortos por uma rampa onde eles iam direto para um porão completo com uma fornalha e uma mesa de dissecação. Depois ele removia a carne dos esqueletos dos corpos, limpava os ossos e vendia os restos mortais para escolas de medicina em Chicago.

 

6. Ele também era um golpista

Holmes foi eventualmente apanhado pelas autoridades, mas não inicialmente pelos assassinatos que cometeu. Como explicado pelo Museu do Crime, foi em vez disso devido a uma trapaça envolvendo seguros – um entre vários golpes perpetrados por ele.

 

7. Ele foi executado em 1896

O esquema fraudulento de seguros de Holmes envolvia seu parceiro de negócios, Benjamin Pitezel. Holmes planejou que Pitezel deveria fingir sua própria morte para que ele pudesse receber o dinheiro do seguro de vida. Em algum momento, Holmes decidiu simplesmente assassinar Pitezel de verdade, atraindo ainda mais a atenção das autoridades. Ele acabou sendo julgado e foi enforcado pelo assassinato de Pitezel em 1896 na prisão de Moyamensing, na Filadélfia.

 

8. Ele foi pago para confessar

Holmes foi pago por vários jornais para confessar seus crimes. A razão pela qual ainda não se sabe muito sobre sua vida ou sobre os assassinatos que cometeu é porque ele deu diferentes relatos de suas ações para cada fonte. Ele confessou ter assassinado um total de 27 pessoas, embora o número possa ser bem mais de 200.

 

9. Seus restos mortais estão sendo exumados

Holmes pediu para ser enterrado em um “caixão duplo-profundo” coberto com cimento para evitar que alguém roubasse ou dissecasse seus restos mortais, mas ele também pode ter feito o pedido numa tentativa de tornar mais difícil de seu corpo ser identificado. A revista Rolling Stone divulgou que o corpo está sendo exumado por causa de uma teoria afirmando que Holmes convenceu outro prisioneiro a ser executado em seu lugar para que ele pudesse fugir do país. Mas Larson, o autor do livro, não está convencido dessa teoria, e se diz convicto de que “o corpo naquele túmulo é de H.H. Holmes”.

 

Conheça a biografia de HH Holmes

Inscreva-se no canal

 

DICA DE LEITURA

Livro: H. H. HOLMES MALIGNO – O PSICOPATA DA CIDADE BRANCA
Autor: Harold Schechter
Tradução: Eduardo Alves
Editora: Darkside Books
Páginas: 420
Compre o livro

SINOPSE – Os assassinos em série não são uma invenção do século XX. Na segunda metade do século XIX, um homem aterrorizou os Estados Unidos e pode ter sido responsável por centenas de mortes. Se trata de Herman Webster Mudgett, mais conhecido pelo nome de dr. Henry Howard Holmes. Em H. H. Holmes: Maligno – O assassino da cidade branca, Harold Schechter, escritor norte-americano de True Crime e especializado no estudo de assassinos em série, constrói um cuidadoso perfil do homem que, à época, foi considerado o mais pérfido dos Estados Unidos. Para angariar dinheiro e poder, e dar vazão a seus diversos golpes e truques, o ambicioso Holmes pavimentou uma trilha de horror com inúmeras vítimas, de crianças a idosos. Holmes confessou 27 assassinatos, mas muitos mais podem estar em sua conta. Ele construiu um hotel para a Feira Mundial de Chicago, evento criado para celebrar os quatrocentos anos da chegada de Colombo à América. A edificação era um labirinto de portas e alçapões, com armadilhas em diversos cômodos. Neste local, presume-se que Holmes pode ter matado um número muito grande de pessoas que iam à cidade para o evento. A crueldade calculada de construir um hotel infernal com mais de cem quartos para matar já seria suficiente para garantir o lugar de Holmes na história do crime, mas ainda há uma série de golpes, esquemas, múltiplos casamentos e mais assassinatos a sangue frio. Schechter também aborda como a história de Holmes repercutiu na imprensa do mundo todo; quando seus crimes vieram à tona, não se falava de outra coisa, sobretudo nos EUA. Com o crescimento da fama e da exposição do assassino, muito se conjecturou sobre sua figura, e crimes que não cometeu foram atribuídos a ele. Em H. H. Holmes: Maligno – O assassino da cidade branca, Schechter junta as evidências para reconstruir a história desse infame criminoso, sem deixar de explorar as demais narrativas sobre ele. Os leitores da DarkSide® Books que gostam de entender o mundo como ele é com os livros da marca Crime Scene encontram no livro de Harold Schechter um panorama do primeiro grande vilão norte-americano. Os crimes hediondos e absurdos de H. H. Holmes são tão abomináveis que ressoam até hoje e são capazes de fazer tremer.

8 comentários sobre “9 coisas que você precisa saber sobre HH Holmes, o serial killer vivido por Leonardo DiCaprio

    1. Assista no canal ID – Investigação Discovery. Passou ontem e vai repetir hoje (13/11/17). São 3 episódios exibidos na sequência.

    1. Pra você também, a mesma resposta, Renata.
      Assista no canal ID – Investigação Discovery. Passou ontem e vai repetir hoje (13/11/17). São 3 episódios exibidos na sequência.

  1. O livro de Larson é otimo. E a história, relativa a Holmes e sua vítimas, entre mulheres, crianças e comparsas, apavorante.

Comentários estão encerrado.