séries de tv

CRÍTICA | 11.22.63, a série baseada no livro de Stephen King


franco4

Por Rodrigo Padrini – Ler um livro é como mergulhar num universo desconhecido, se apropriar dos seus elementos, respirar o ar que nos é oferecido e se posicionar lado a lado com o narrador que nos apresenta sua história. É uma experiência sempre solitária, afinal ninguém imagina os personagens, as cenas, as situações e os locais como você imaginou. Dessa forma, é sempre um risco muito grande escolher apenas uma possibilidade e traduzi-la em imagens.

Editado originalmente em 2011 com o título 11.22.63, Novembro de 63, de Stephen King, lançado pela Suma de Letras no Brasil em 2013, tornou-se um desses casos arriscados em 2016. O best-seller foi adaptado em uma minissérie de oito episódios, originalmente exibida pelo serviço de vídeo on demand Hulu em fevereiro de 2016. Como li o livro e, logo depois, assisti à série, decidi tecer alguns comentários sobre essa experiência, sem spoilers que farão com que você me xingue ao longo do texto.

giphy-1

Contando com a produção de J.J. Abrams e do próprio Stephen King, a minissérie estreou também no canal AMC em 1º de novembro de 2016, seguindo o título original do livro – 11.22.63 -, e trouxe o ator James Franco no papel de Jake Epping, nosso protagonista, e Sarah Gadon como Sadie Dunhill, e está disponível em DVD e Blu-ray.

Inicialmente, não contarei nenhuma novidade ao dizer que o livro possui um número infinitamente maior de detalhes e acontecimentos. Afinal, estamos falando de um livro com mais de setecentas páginas. No entanto, a adaptação foi bem sucedida ao introduzir novos elementos e um encadeamento diferente dos acontecimentos para produzir uma experiência dinâmica que coubesse em oito episódios de quarenta e poucos a sessenta minutos. A série é boa e o final muito emocionante.

Sobre o elenco, James Franco encarna bem o professor de inglês Jake Epping e não foge muito da personalidade que imaginei durante a leitura. Entretanto, no livro a rotina de Jake Epping no passado é mais explorada, assim como o seu relacionamento com os alunos e outros professores. Como na minissérie tudo é muito corrido – vamos ao que interessa -, essa caracterização do personagem deixa a desejar. Para quem apenas assiste à série, o protagonista pode não ser tão envolvente como no livro.

franco3

Outros personagens importantes no livro como Sadie Dunhill, Deke Simmons, Al Templeton, Lee e Marina Oswald estão bem representados, porém pouco explorados. O romance entre Jake e Sadie, por exemplo, possui uma importância muito maior no livro. O personagem Bill Turcotte ganhou um novo lugar na minissérie, alterando bastante as características da missão de Jake e sua relação com Lee e Marina Oswald, como relatadas no livro, onde é mais um coadjuvante. Se você seu o livro, talvez nem se lembre de quem ele é.

No início, não gostei e achei desnecessário, meio hollywoodiano, mas depois tudo fez mais sentido na dinâmica que escolheram. O ator George MacKay, que interpreta Bill, é bom e seu novo papel no enredo me pareceu uma forma de agilizar os acontecimentos e transformar em ação o que, no livro, são pensamentos de Jake Epping. Ao fim, no contexto da série, ficou até legal, mas prefiro o livro.

giphy-3

Sobre elementos como o figurino, os cenários, a trilha sonora e a caracterização da época, acredito que tornaram a experiência de assistir à série após a leitura algo um pouco mágico. Tudo se materializa em segundos e, só esses pequenos momentos, quando vemos o restaurante de Al, a chegada de Jake na década de 60, os carrões antigos circulando, já fazem a experiência valer à pena. A descrição feita magistralmente por King no livro ganha vida em todos os episódios. A música embala, envolve e fará você ver a série inteira “numa sentada só”.

serieking
9925Sobre a produção em si, não há do que reclamar.
Sempre fiquei com um pé atrás com as outras adaptações da obra do King, mas 11.22.63 surpreende

x
Não há nada cafona, amador e que não devia estar lá. A adaptação exclui muitos elementos do livro sim, mas o faz de forma criativa e consciente. As cenas finais do assassinato de John Kennedy, tão esperadas por qualquer leitor ou espectador, ficaram muito boas. Pequenas alterações comprometem um pouco a ideia do “passado obstinado”, como colocado por King no livro, mas nada que tire a emoção dos últimos episódios.

Sobre o que senti falta na série: do sangue e “do sobrenatural”. O livro nos apresenta as cenas sangrentas de violência com maior detalhe e profundidade, chocando o leitor pela gravidade dos ferimentos e comportamentos. Na minissérie, os eventos violentos são amenizados e rápidos – e, às vezes, nem entendemos tão bem porque estão acontecendo -, o que me parece quase uma tendência na adaptação de livros para a televisão. Será preguiça de investir na maquiagem? Será para tornar a série mais acessível ao grande público? É impossível mesmo? Não sei.

11-22-63-1x08

Quanto ao sobrenatural, a questão da viagem no tempo, das múltiplas realidades geradas por essas viagens e os efeitos colaterais são pouquíssimo trabalhados na série. O famoso “Homem do Cartão Amarelo” se torna quase um acessório, quando no livro se mostra um elemento fundamental e muito curioso nos últimos momentos. As “cordas de realidade” e o “efeito borboleta” são mais explorados no livro e a seção “ficção científica” está mais bem servida no livro que na série. O próprio final faz mais sentido no livro que na série, onde continua bom, mas meio deslocado.

Por fim, recomendo 11.22.63. A minissérie é muito bem produzida, com elenco de qualidade e ação do princípio ao fim. Para mim, o final do livro se tornou ainda mais emocionante após assisti-lo traduzido em imagens, acompanhado de cores, vozes e sons. Isso ocorre com diversas cenas e, talvez após ler o livro e assistir à série, “Novembro de 63” entre no seu TOP 5 de preferidos do King.

(Imagens: divulgação, Media Giphy)

rodrigo_perfil5

Anúncios

1 reply »

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s