Série de Agatha Christie vai traçar paralelos entre Brexit e o avanço do fascismo

[Imagem: Mammoth Screen/Agatha Christie Ltd] [Fonte: Telegraph/Anita Singh]

 

A série Os Crimes ABC, adaptação da obra de Agatha Christie, vai estrear na BBC One neste natal. No papel de Hercule Poirot está John Malkovich, que vive o detetive pela primeira vez. Ele terá como desafio capturar um serial killer que mata suas vítimas em ordem alfabética, deixando uma cópia de um guia ferroviário no local do assassinato.

Segundo o jornal Telegraph, a adaptação também trará discussões sobre o Brexit, que é a saída do Reino Unido da União Europeia, e o avanço do fascismo na Inglaterra e no mundo, traçando paralelos com a Inglaterra da década de 1930 e os dias de hoje.

O roteiro foi escrito por Sarah Phelps, que disse ter acrescentado um contexto histórico à história de Agatha Christie. Um exemplo disso é um pôster visto numa das cenas iniciais, que mostrará Oswald Mosley, um dos principais líderes da extrema-direita fascista inglesa e fundador da União Britânica de Fascistas, banida em 1940.

 

 

Não é muito difícil adequar a história de quase 100 anos atrás a de hoje. Nos livros, Poirot é alvo constante de xenofobia. As cartas que ele recebe têm um tom preconceituoso contra estrangeiros. Phelps afirma “ser fácil encontrar ressonância contemporânea nos romances de Christie”. Segundo ela:

 

“você não tenta fazê-los ressoar (os livros) – eles apenas ressoam, porque nós andamos em círculos e as coisas que pensamos que deixamos para trás historicamente estão lá, grupos selvagens de sujeira apenas esperando para explodir em nossa consciência mais uma vez”.

 

Hercule Poirot é originalmente belga, mas fez sua carreira de detetive particular na Inglaterra, para onde se mudou após a Primeira Guerra Mundial. Segundo Phelps,

 

Na década de 1930, as coisas eram muito parecidas com as que são agora. A União Britânica de Fascistas começou a ganhar força de uma forma realmente chocante, algo que talvez as pessoas hoje não saibam… A linguagem disso é exatamente a linguagem de Brexit e Trump. É tudo a mesma coisa. Economicamente, tudo se desfaz, com divisões semeadas e pessoas procurando um bode expiatório. Ter sido este célebre detetive belga e, de repente, ser de outro país, não era uma coisa boa. Coincide com o agora. É realmente arrepiante como é semelhante.

 

O neto de Agatha Christie, James Prichard, aprovou a decisão de Phelps de trazer a reflexão sobre o fascismo para a história. A série estreia dia 26 de dezembro na BBC, e será dividida em três episódios. Ainda não há previsão de lançamento no Brasil.

 

Compartilhe aqui!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!