MINDHUNTER PROFILE | Como começou o estudo de perfis psicológicos no FBI

MINDHUNTER PROFILE | Como começou o estudo de perfis psicológicos no FBI

 

Em Mindhunter Profile: Serial Killers, publicado pela Darkside Books, o ex-agente do FBI Robert K Ressler aborda vários casos famosos investigados pela polícia.

Ressler foi o responsável pela criação de protocolos e de setores inteiros dedicados à compreensão dos serial killers. Neste livro, ele relata como conduziu entrevistas com assassinos condenados e como surgiu o termo serial killer.

Na série Mindhunter, da Netflix, o personagem Bill Tench é inspirado no ex-agente. Ele é parceiro de Holden Ford, também inspirado em um ex-agente do FBI (John Douglas).

Ressler vai citar vários casos polêmicos neste livro, das entrevistas que fez com gente como Edmund Kemper, Charles Manson, John Wayne Gacy, e muitos outros assassinos em série que infelizmente entraram pra história da criminologia.

Conheça o livro no vídeo abaixo.
Livros sobre o tema

 

Veja o vídeo

Inscreva-se no canal

* Livro enviado ao canal pela Darkside Books

 

SOBRE O LIVRO

Título: Mindhunter Profile: Serial Killers
Autores: Robert K. Ressler/Tom Schachtman
Tradução: Alexandre Boide
Páginas: 416
Editora: Darkside Books
Compre o livro

SINOPSE – Como surgiu o método de investigação de serial killers que é usado hoje? Quem foram os responsáveis por desenvolver as ferramentas que permitem aos investigadores aprenderem e lidarem cada vez melhor com a prevenção ao crime e a resolução de assassinatos brutais? Uma dessas pessoas é Robert K. Ressler. Com Tom Shachtman, ele narra, em Mindhunter Profile: Serial Killers, seu período no FBI e revela o desenvolvimento do método de traçar perfis psicológicos dos assassinos seriais. Ressler é a principal inspiração do personagem Bill Tench, da série de televisão Mindhunter, e seu parceiro, John E. Douglas, foi a base para Holden Ford. Mindhunter Profile: Serial Killers leva o leitor para dentro do escritório do FBI e das salas de entrevistas com assassinos violentos e mostra passo a passo a forma como Ressler propôs seu modelo de análise e sua catalogação desse tipo de criminoso, o que fundamentou o trabalho de investigação dos agentes que é feito até os dias de hoje. O texto dinâmico e informativo de Ressler e Shachtman apresenta ao leitor a compreensão dos protocolos do FBI, da polícia e da ciência comportamental, além de mostrar a introdução de técnicas inovadoras que surgem para gerar mais pistas para as investigações. Como a citação de Nietzsche que Ressler usa de epígrafe, em Mindhunter Profile o leitor também é convidado a olhar para esse abismo, encontrar formas de enfrentar esses monstros e entender como não se tornar um deles.